.

VOCÊ JÁ LEU MEU BLOG HOJE ?
[ LATIFÚNDIO DIGITAL ]
Uma homenagem ao blogger que deu o nome a este blog
Ex-critor da Viagem imóvel
[latifúndio digital]

[começou a nos acompanhar o artista plástico Eduardo P. L., de Imbituba, Santa Catarina, que é também frequentador do blog da Lina Faria, Não Lugar. Comecei a escarafunchar em seu perfil e descobri que ele é um latifundiário digital: tem 18 blogs! Até onde eu contei e pode ser que eu tenha contado errado, porque jornalista não é bom de matemática.
Vai demorar um tempinho para eu visitar todos os blogs e fazer comentários, mas até onde pude ver, fotografia e artes plásticas são os temas mais frequentes. De todos, naveguei mais pelo Varal de Ideias (agora sem acento) e O Último Blog. Agora somos 14 viajantes e eu nos remos.]

A VIAGEM IMÓVEL do Ex-critor

Agradeço ao jornalista, e agora amigo, e recomento SEGUIREM seu blog, ajudando-o a remar!
Marcadores: ,
Quarta-feira, 14 de Fevereiro de 2007
VINCENZO SCARPELLINI em NOVA EXPOSIÇÃO

Foto ilustrativa da matéria, não tendo nada haver com os trabalhos que serão expostos. Aqui um desenho a lápis de cor , sobre papel 21,5x32cm, Paulinha, 19 de fevereiro 2003
PIACABA Scarpellini Nankin, sobre papel, 24x33cm ECLIPSE DE SOL EM IBIRAQUERA- PARA EDUARDO, DE VINCENZO
Làpis sobre papel 10x15cm sem assinatura de uma série de 8 desenhos nas mesmas dimensões sobre o trabalho com escultura e pintura na PIACABA
Desenho de VINCENZO SCARPELLINI sem assinatura com NANKIN sobre papel, retratando Eduardo.
Salve Jorge Centro abriga mostra Cidade Nua, com quadros do artista plástico Vincenzo Scarpellini
Cidade Nua.
Este é o nome da exposição de obras do artista plástico italiano Vincenzo Scarpellini que estará, a partir do próximo dia 24 de fevereiro, no Salve Jorge Centro. Durante um mês, quem for ao bar, recém inaugurado, poderá ver 41 quadros assinados pelo artista, falecido em 2006. Radicado no Brasil nos últimos 10 anos, Scarpellini era um apaixonado pela capital paulistana. Desde o ano 2000, assinava, juntamente com o jornalista Gilberto Dimenstein, a coluna “Urbanidade”, no jornal Folha de S.Paulo, onde toda semana publicava imagens que traduziam sua visão dessa cidade que nunca dorme.Formado em jornalismo e design na Itália, ele deu aulas na Universidade Luiss, em Roma. Também foi diretor de arte do jornal Il Manifesto, ativo veículo italiano de esquerda. Em 1996, adotou o Brasil e, antes da Folha, redesenhou o projeto gráfico de algumas revistas como Manchete, A&D e Nova Beleza. Em São Paulo, implantou e dirigiu a escola de Artes Visuais do Istituto Europeo de Design (IED).Com curadoria da jornalista Cláudia Marques, esposa do artista, a mostra traz uma seleção de alguns dos primeiros desenhos da cidade feitos por Scarpellini. São ícones como o prédio do Banespa, o Vale do Anhangabaú e o Edifício Martinelli. “Os desenhos mostram detalhes que passam despercebidos pelo andar apressado das pessoas que circulam pelo centro. São recortes e ângulos de prédios e ruas que os nossos olhos nem sempre se dão ao trabalho de olhar, ou de guardar, como dizem os italianos. E todos revelam os caminhos do centro, caminhos pelos quais Vincenzo percorria animado, sempre com uma história pitoresca na ponta da língua”, conta Cláudia Marques.A exposição ainda passeia por outro tema que marcou a obra do artista: os nus femininos. É a quinta vez que o trabalho de Scarpellini ganha uma mostra individual, a primeira póstuma. Seus trabalhos já foram expostos no restaurante Panino Giusto (2001), no Centro Cultural da Caixa (2002 e 2005) e no Palazzo dei Capitani, Itália (2005). Para este ano, o IED prepara um livro sobre sua obra.Esta é a primeira vez que o Salve Jorge Centro, inaugurado em novembro do ano passado, abriga uma exposição de arte. “Em seus pouco mais de dois meses o Salve Jorge tem sido muito bem recebido pelo público, que elegeu o bar como uma alternativa de diversão no centro da cidade. E nada melhor para inaugurar o histórico de exposições no espaço que uma mostra das obras de Vincenzo, que era um entusiasta do Centro, assim como nós somos”, diz Fernando Costa Netto, sócio do Salve Jorge.Sobre o Salve Jorge CentroInaugurado em novembro do ano passado, o Salve Jorge Centro é a primeira filial do Salve Jorge, bem sucedido bar da Vila Madalena, dos mesmos donos de outros dois grandes sucessos: Posto 6 e José Menino. Eleito pelo Guia da Folha como melhor bar em 2006, o Salve Jorge Centro já se tornou, nesses dois meses, opção certa para quem procura um lugar diferente e de qualidade longe dos destinos óbvios para se divertir no fim-de-semana. Localizado no número 33 da Praça Antonio Prado, em frente ao prédio do Banespa, o bar está mudando a rotina da região, que durante as últimas décadas deixou de ser cogitada como opção de lazer pelos paulistanos. Em seus 900m2, divididos em dois andares, o Salve Jorge Centro é um lugar para quem quer passar horas agradáveis, em um espaço muito bem cuidado, localizado em um local que proporciona uma verdadeira volta ao passado, quando o Centro de São Paulo era sinônimo de glamour.SERVIÇO:Exposição “Cidade Nua” - obras de Vincenzo Scarpellini
Data: De 24/02/2007 a 24/03/2007
Local: Bar Salve Jorge Centro Centro - SP (Próximo ao Largo São Bento)End: Praça Antonio Prado, nº 33 - Lj. 17 - F: 3107-0123* Estac.: Rua Boa Vista, 192

POSTADO NO VARAL DE IDEIAS 14/02/2007

Nenhum comentário: